Anthony Phillips – “The Geese & the Ghost”

Título: The Geese & the Ghost (15’51”)
Artista: Anthony Phillips
Álbum: The Geese & the Ghost (Passport, 1977)
Autores: Anthony Phillips, Mike Rutherford

Em 1970 Antonhy Phillips, o guitarrista e co-fundador dos Genesis, surpreendeu os companheiros ao anunciar que abandonava a banda. O stress da nova vida na estrada, e o “stage fright”, faziam-no estar constantemente doente, levando-o finalmente a seguir o conselho dos médicos.
 
Hoje tal facto pode não parecer significativo, já que a banda só depois disso se tornaria conhecida. Mas na verdade a notícia colocou os restantes elementos na iminência de terminar tudo. Ant Phillips era uma das forças dos Genesis, desde as gravações dos primeiros singles, em 1968, ao primeiro álbum “From Genesis To Revelation”, marcando um som fortemente acústico, de um folk-pop britânico, onde se tentava destacar a voz soul de Peter Gabriel.
 
Em 1970, a banda após longos meses na estrada, gravava o álbum “Trespass”, e foi durante essas gravações que Anthony Phillips decidiu atirar a toalha ao chão. Nos anos seguintes Ant continuaria a compôr para guitarra, estudando piano, descobrindo música clássica, e imaginando-se um compositor de pleno direito, fora do mundo dos palcos rock. Foi o velho amigo Mike Rutherford o responsável por incutir em Ant ideia de voltar a gravar. Desde 1969 que Phillips reunia ideias, e entre 1973 e 1976, aproveitando paragens nos Genesis, voltou a compor e gravar com Rutherford.
 
Em 1977 “The Geese & the Ghost” viu finalmente a luz do dia. O álbum foi inicialmente rejeitado pela Charisma, e seria editado primeiro nos Estados Unidos. Pensado como um álbum do duo Phillips-Rutherford, terminou como álbum a solo, para evitar colisões com os Genesis. Ainda assim, contou também com a colaboração de Phil Collins, o que lhe deu a aura de um álbum perdido dos Genesis, uma espécie de realidade alternativa, tivesse Phillips continuando na banda.
 
“The Geese & the Ghost” é, como não podia deixar de ser, um álbum onde as guitarras se destacam. Nele dominam as atmosferas pastorais de temas acústicos, de inspiração medieval, como a suite “Henry; Portraits From Tudor Times”. Mas para além dessa suite e das várias baladas (duas cantadas por Phil Collins), é o tema título que se deve aqui destacar.
 
O tema “The Geese & the Ghost” é um exercício para guitarras, dividido em duas partes. A primeira, a mais acústica, desenrola-se a partir de notas soltas de guitarra, quase em jeito de caixa de música infantil. Aos poucos as guitarras vão construíndo temas simples, um pouco elegíacos. Estes, após várias paragens e repetições, vão evoluir mais ritmicamente quando se junta a flauta chilreante de John Hackett (irmão de Steve) que as dobra e sobre elas brinca, até aos acordes finais de órgão.
 
A segunda parte, em jeito rock, evolui sobre notas ondulantes de guitarra acústica. Nele, instrumentos clássicos (como o oboé) juntam-se a guitarra eléctrica e bateria. Os temas iniciais repetem-se agora com nova roupagem, e passagens acústicas intercalam-se entre passagens eléctricas, quase que num reunir dos dois mundos. Um e outro nunca deixam de nos levar para as bucólicas paisagens de campos ingleses cuja memória se parece perder no tempo. Destaque ainda para a riqueza tímbrica, davida ao uso diversificado de instrumentos – há praticamente toda uma orquestra que goteja nota a nota pelo álbum fora.

Anthony Phillips nos anos 70

Anthony Phillips nos anos 70

Embora passando ao lado do grande público, “The Geese & the Ghost” foi bem recebido por uma franja dos fãs de Genesis, que permitiram a Ant Phillips um estatuto de culto, e uma profícua carreira. Sem voltar a pisar os palcos Phillips tem já várias dezenas de álbuns gravados. Na sua obra encontram-se álbuns para guitarra acústica (solo e duetos) e piano, peças de câmara, música rock, temas new age mais experimentalistas, canções pop, bandas sonoras, e composições para orquestra.
 
Para os fãs a obra Anthony Phillips é sinónimo de uma pérola escondida, feita de delicadeza, de contos de fadas em forma de música, claras influências clássicas, e de referências literárias, que nos reportam para outros tempos. É toda uma obra, que tal como o presente tema, deve ser descoberta com muito tempo.

 

3 responses to “Anthony Phillips – “The Geese & the Ghost”

  1. Confesso que nunca segui a obra de Ant Phillips, e até conhecia apenas de nome este album. Obrigado ZC. Pelo texto que li enquanto embalado pelo som da guitarra, produz vontade de ir procurar mais. Mas que bela pérola!

  2. Vale a pena sim. E a obra do Ant é tão vasta e diversificada que é preciso um guia do estilo “se gostou deste álbum, a seguir ouça aquele; se prefere mais assim, ouça antes aqueloutro”. No entanto este primeiro é assim uma espécie de ponto de partida para tudo o que vem a seguir, por isso fundamental.

  3. Ora cá está um outro nome daqueles que pensamos
    “tenho que ouvir este senhor” e o tempo passa e não o fazemos. Graças a ti foi desta e ainda bem que o fiz. É de facto uma pérola autêntica. Fiquei impressionado com a beleza e “simplicidade” da música do Sr. Ant. E surpreendido por me aperceber da enorme influência que teve na música dos Genesis até a Wind and Wuthering (pelo menos). Estes belíssimos e hipnotizantes harpejos de guitarras de 12 cordas e outras vêm portanto deste senhor. Como diria o Peça: e esta, heim? Obrigado por mais esta, Zé.

Deixe um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s