Tag Archives: Karisma Records

Lançamentos – Maio de 2017

Lançamentos do mês de Maio. Estejam à vontade para adicionarem as vossas sugestões.

The Second HandArtista: Anubis
Título: The Second Hand
Formato: 1CD
Editora: Edição de autor
 
Onde obter:
https://anubismusic.bandcamp.com/album/the-second-hand

 
 

Forever Comes to an EndArtista: Bjørn Riis
Título: Forever Comes To An End
Formato: 1CD
Editora: Karisma Records
 
Onde obter:
https://bjornriis.bandcamp.com/

 
 

Into the WoodsArtista: Hawkwind
Título: Into The Woods
Formato: 1CD
Editora: Cherry Red Records
 
Onde obter:
https://www.cherryred.co.uk/product/into-the-woods-deluxe-cd-edition/

 
 

Signal 9Artista: Miriodor
Título: Signal 9
Formato: 1CD
Editora: Cuneiform Records
 
Onde obter:
http://www.cuneiformrecords.com/bandshtml/miriodor.html

 
 

The Bride Said NoArtista: Nad Sylvan
Título: The Bride Said No
Formato: 1CD
Editora: InsideOut Music
 
Onde obter:
http://www.insideoutshop.de/Item/Nad_Sylvan_-_The_Bride_Said_No_-Special_Edition_CD_Digipak-/16340

 
 

Live in BremenArtista: Nektar
Título: Live In Bremen [ao vivo]
Formato: 2CD
Editora: Sireena Records
 
Onde obter:
https://nektarmusic.bandcamp.com/music

 
 

On Her Journey to the SunArtista: Rikard Sjöblom’s Gungfly
Título: On Her Journey to the Sun
Formato: 2CD
Editora: InsideOut Music
 
Onde obter:
https://www.insideoutshop.de/Item/Rikard_Sj-blom-s_Gungfly__-_On_Her_Journey_To_The_Sun_-Special_Edition_2CD_Digipak-/16336

 
 

The Seraphic Live WorksArtista: Vanden Plas
Título: The Seraphic Live Works [ao vivo]
Formato: 1CD/1DVD
Editora: Frontiers Music
 
Onde obter:
http://www.frontiers.shop/cd/535/vanden-plas-the-seraphic-live-works-cd/dvd

 
 

Crítica: “Forever Comes to an End” – Bjørn Riis

Forever Comes to an End

Forever Comes to an End
Artista: Bjørn Riis
Data: Maio, 2017
Editora: Karisma Records

Para além de se tornar conhecido como o líder (compositor, guitarrista e vocalista) dos Airbag, o norueguês Bjørn Riis tem ainda uma carreira a solo. É nesse registo que Riis nos deu o seu recentemente editado segundo álbum, Forever Comes to an End, que se sucede a Lullabies in a Car Crash (Karisma Records, 2014).
 
Com sete temas, vários dos quais instrumentais («Absence», «Getaway», «Calm»), Riis, relembra os caminhos dos Airbag, num som compatível com o da banda, mas aqui com mais espaço para respirar. As influências mantêm-se, de Anathema (note-se o arranque inicial no tema-título, com a voz etérea de Riis a contrastar, e o tema final «Where Are You Now») a Steve Wilson (pelo tom melancólico), com guitarras que vão de ataques violentos a solos lânguidos, evocativos de Steve Rothery (Marillion) ou David Gilmour (Pink Floyd). Exemplo é o rendilhado de guitarras de «The Waves», e o cinemático e floydiano «Winter», onde Riis se coloca a par dos seus ídolos. Destacando-se ainda o piano de «Calm», um dos temas mais atmosféricos de Forever Comes to an End e exemplo da maior diversidade que Riis inclui no seu trabalho a solo.
 
No seu conjunto, Forever Comes to an End, é uma excelente amostra do trabalho do compositor e guitarrista, agradando certamente a todos os que se identificam com o tipo de som das influências que Riis se propõe seguir.

Crítica: “Disconnected” – Airbag

Disconnected

Disconnected
Artista: Airbag
Data: Junho 2016
Editora: Karisma Records

Já com quatro álbuns de originais em seu nome, os noruegueses Airbag deram nas vistas em 2016 com o seu quarto trabalho Disconnected, um álbum que recebeu loas dos críticos, e projectou a banda para um público mais alargado.
 
Destacando-se dos álbuns anteriores por um som mais conciso e maduro, Disconnected, agradará de certeza a fãs de Pink Floyd, pois é esta banda a sua maior influência, a qual vestem com uma roupagem evocativa de Porcupine Tree, e uma vocalização que lembra imediatamente Steven Wilson. Se o rocker «Killer» é quase que uma amostra de todas essas influências, onde não falta um solo gilmouriano do guitarrista e vocalista Bjørn Riis, «Broken», «Slave» e «Returned» lembram-nos os trabalhos a solo de Steven Wilson, carregados de uma triste melancolia. A destacar, está ainda o bem floydiano tema-título «Disconnected».
 
No total, um conjunto de boas melodias, num som cativante, onde se respiram aqueles momentos de notas longas e atmosferas melancólicas que agradam, principalmente, a fãs de Pink Floyd e Steven Wilson.